1/6

Poesias 

Plumas negras caindo do céu

Lágrimas, tiros, canções melancólicas

Pegue minha mão para atravessarmos a grande avenida

Pegue minha mão para atravessar mais um dia

Pegue minha mão para me ensinar a viver

Sem que me persigam, sem que me matem

 

Plumas negras caindo do céu

Enquanto nossos filhos são treinados para não morrer

Eles ensinam os filhos deles a nos odiarem

Eles ensinam os filhos deles a nos jogarem pedra

Eles ensinam os filhos deles a darem tiro contra nós

Eles querem tomar nossos filhos enquanto veneramos 

Nossos orixás, nossos Deuses, nossa cultura

 

Plumas negras caindo do céu

Não bastou séculos de correntes e chicote?

Não bastou os estupros, as marcas feitas a ferro quente?

Não bastou as forcas nos quintais e praças

Não bastou toda as humilhações sofridas

Não bastou as feridas eternizadas nos olhares?

BASTA!

 

Plumas negras caindo do céu

Não temos tempo de nos recuperar do golpe dado

Me leve para o outro lado do espelho

O outro lado do oceano

O sangue sempre será o simbolo utilizado 

para nos desprezar? 

O nosso sangue?! 

 

Plumas negras caindo do céu

Florestas em chamas

Delegacias em chamas 

Carros em chamas 

Lojas em chamas

Sua pele branca nunca será superior à nossa cor

Somos negros e vermelhos

Somos a sombra de um passado cruel que persiste em existir

Barracos em chamas

Lembranças em chamas

 

Plumas negras caindo do céu...


 

ROJEFFERSON MORAES